Blog Financia Tudo: Financiamentos, Seguros e Consórcios

Quais híbridos estão entre os carros mais econômicos do Brasil?

A indústria automotiva revela constante preocupação em fabricar veículos capazes de reduzir o consumo de combustível. Essa parceria com o consumidor vem desde os anos 1970, quando aconteceu a primeira crise do petróleo, que elevou o valor da gasolina a preços altíssimos. Ao pensar na economia dos clientes, as montadoras investem em modelos simples, eficientes, sem deixar as inovações tecnológicas de lado.

Um estudo recente realizado pelo Inmetro mostrou quais são os carros mais econômicos do Brasil. A pesquisa reuniu 35 marcas e 1102 modelos da categoria de automóveis leves.

No post de hoje, vamos apresentar os 5 carros movidos a gasolina que encabeçam a lista e que podem facilitar muito a vida do consumidor na hora do financiamento. Confira!

1. Toyota Prius

Primeiro automóvel híbrido vendido em larga escala do mundo, o Prius tem capacidade para rodar até 20 km com um litro de gasolina. Isso não é sensacional?

De acordo com pesquisa do Inmetro, o consumo em uso na cidade é de aproximadamente 18,9 km/l de gasolina, mas na estrada esse número sobre para 17 km/l.

2. Ford Fusion 2.0 Hybrid

Cheio de charme ecológico, o Ford Fusion voltou às concessionárias brasileiras no ano passado. Essa já e a segunda geração desse modelo. 

Além de oferecer rico arsenal tecnológico, que envolve até um Kers — sistema responsável por recuperar energia nas frenagens —, o modelo é um dos mais eficientes para trajetos urbanos.

No Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro, o veículo atingiu médias de consumo de 16,8 km/l na cidade e 14,7 km/l na estrada.

3. Lexus CT200H 1.8

O hatch híbrido também é uma boa opção para quem quer chegar longe, gastando menos combustível.

O modelo possui dois motores – um 1.8 a gasolina e outro elétrico -, que, juntos, chegam a gerar potência combinada de 136 cv.

Em trajetos urbanos, o consumo de é 15,7 km/l e de 14,2 km/l na estrada.

4. Volvo XC90 2.0 T8

Poderoso, o Volvo XC90 2.0 T8 também é um dos carros mais econômicos do Brasil. Para essa versão, a montadora sueca caprichou na potência.

O híbrido de 426 cv e motor de 4 cilindros tem capacidade para acelerar de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos. Está bom para você?

No quesito consumo, o utilitário esportivo atinge média de 15,3 km/l na cidade e 15,8 km/l na estrada.

5. Peugeot 208 1.2 Active

O veículo foi projetado com motor 1.2 (3 cilindros flex de 84/90 cv) e com mais uma série de atrativos como direção elétrica progressiva, chave canivete, transmissão manual de cinco marchas e outros.

A montadora francesa também investiu bastante ao pensar em um carro econômico. O consumo bate 15,1 km/l em circulação urbana e 14,2 km/l na estrada.

Híbridos: ecológicos e econômicos

Não só para a indústria automotiva, mas principalmente para o consumidor, os modelos híbridos já são considerados os carros do futuro. Além da redução do consumo de combustíveis, produzem baixos níveis de gases tóxicos: isso porque são adaptados com dois motores, a gasolina e elétrico, que trabalham juntos — alimentados por baterias.

Para muitos, o valor dos híbridos ainda é uma desvantagem. Dos modelos que apresentamos acima, o Peugeot 208 1.2 Active é o mais acessível (R$ 48.000), e o Volvo XC90 2.0 T8 custa quase 10 vezes mais (R$ 450.000).

Mas a boa notícia é que esses modelos podem entrar na lista dos carros mais econômicos do Brasil — porém a longo prazo — quando se pensa no consumo de combustível.

Gostou no nosso post? Acompanhe mais novidades do mercado automotivo por meio do nosso Facebook!

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas. Solicitar contato agora. 

Tabela FIPE: o que é e como usá-la?

Está pensando em trocar de carro esse ano? É preciso estar atento a vários detalhes e fazer pesquisas antes de fechar o negócio. A tabela FIPE é uma ótima fonte de busca para confirmar se os valores cobrados estão de acordo com a média de mercado de cada automóvel.

Essa tabela é bastante usada e é uma excelente ferramenta para você ter uma ideia dos valores do carro que deseja. Se você ainda não conhece a tabela FIPE ou não sabe como usá-la, acompanhe as dicas do post de hoje e adquira informações importantes para trocar ou comprar o carro que deseja com mais segurança.

Tabela FIPE: o que é?

Essa é a tabela de preços de automóveis usados apurada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). Ela é a maior referência atual do mercado na hora de pesquisar valores de carros usados. A FIPE informa também valores de veículos 0km, porém é mais utilizada para pesquisa de carros, motos ou caminhões usados.

A tabela FIPE se baseia em preços médios praticados em 24 estados do país e descarta valores muito acima ou abaixo da média. Além disso, ela serve como base de cálculo para o IPVA. Outro uso comum da FIPE é para seguradoras e financeiras basearem as taxas de seus serviços.

A tabela é atualizada com frequência. Por esse motivo, o indicado é acessar o site da Fundação sempre que necessário para acompanhar possíveis mudanças nos valores de alguns modelos. É importante ressaltar que ela é nacional e, por isso, os valores de certos carros podem variar de acordo com cada estado. A FIPE serve, principalmente, como uma base de comparação.

Como usar a tabela?

A Tabela FIPE é bem dinâmica e fácil de ser utilizada. Basta acessar o site para conferir as opções oferecidas para pesquisas e também informações relevantes sobre a tabela.

Existem várias opções de pesquisa na plataforma. Você pode optar por: tipo de veículo, código FIPE do automóvel, marca, modelo e ano, valor e carros 0km.

É importante lembrar que os valores mostrados nestas pesquisas são de média nacional, como dito anteriormente. Além dos preços variarem por estado, você pode observar mudanças também por conta de acessórios e/ou alguma modificação que o veículo tenha passado. Rodas, som, pintura e ar condicionado, por exemplo, podem valorizar muito o carro.

Outra dica importante é avaliar se estas modificações realmente garantem valor ao carro que você deseja ou podem trazer mais dor de cabeça futuramente. Normalmente, os carros com características originais são mais fáceis para venda.

Faça pesquisas

Devido a várias mudanças financeiras atuais de mercado, os valores podem variar com mais frequência em todos os estados. Por esse motivo, é muito importante fazer uma pesquisa aprofundada sobre o carro que deseja comprar. Também é indicado pesquisar o local ou o vendedor do veículo desejado.

Sempre desconfie de valores muito diferenciados da tabela FIPE. Nunca feche o negócio sem verificar todos os detalhes do veículo, como documentos e situação mecânica.

Gostou do nosso post? Se você deseja receber dicas importantes como essa em seu e-mail, assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades de mercado, financiamentos e seguro!

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas. Solicitar contato agora. 

5 dicas para comprar um carro novo

Mais do que uma realização pessoal, muitas vezes, comprar um carro novo é uma garantia de que nada dará errado com a nova aquisição, certo?

Nem sempre. Alguns cuidados importantes devem ser tomados, como essas 5 dicas do nosso post de hoje. Confira!

1. Pesquise bastante

A principal coisa a se fazer antes de comprar um novo carro é realizar uma pesquisa muito bem-feita. Por mais que os atributos que lhe agradem inicialmente em um modelo sejam o visual ou um item de série interessado, é necessário verificar alguns detalhes com cuidado.

Por exemplo, o consumo, o histórico de problemas com a marca, pós-vendas, adequação ao tamanho da sua família, entre outros pontos devem ser observados. Faça o máximo para evitar arrependimentos posteriores à compra e adquira algo que você deseja que dure muitos anos.

2. Simule situações de pagamento e financiamento

Provavelmente, um veículo novo será o segundo item mais caro que você comprará na vida, perdendo apenas para a casa própria. Portanto é importantíssimo avaliar quais são as formas mais cômodas de gastar todo esse dinheiro.

Analise as possibilidades de pagamento à vista, dar uma entrada maior no momento da compra, juros de financiamento por meio do leasing ou do crédito direto. Caso adquirir o carro novo não seja algo tão urgente, você pode até mesmo escolher uma administradora de consórcio.

3. Não compre um carro novo logo­­­­­­­­ na primeira loja que entrar

Por mais que você tenha se apaixonado por determinada marca e modelo em específico e verificado se o carro atende a todas as suas expectativas de compra, dê uma andada por aí e pesquise um pouco mais antes de fechar o negócio em definitivo.

Diferentes vendedores e lojas podem variar também no que diz respeito às condições de pagamento e financiamento, itens gratuitos e uma série de questões que envolvem a aquisição de um veículo. Não tenha pressa.

4. Peça para fazer um test drive

Comprar um carro novo também tem muito a ver com o quanto você se sente confortável ao dirigi-lo. Não se acanhe em solicitar um test drive para verificar como o veículo se comporta com relação, por exemplo, aos ruídos emitidos e eficácia da suspensão.

Isso pode fazer com que você simplesmente desista de um modelo, para adquirir outro que faça com que se sinta melhor no dia a dia.

5. Fique bastante atento à documentação necessária

Antes de comprar um carro novo, faça todas as perguntas que achar pertinente ao vendedor. Questione sobre os itens do contrato, procedimentos para transferir a propriedade para o seu nome, documentação necessária para os diferentes tipos de transações financeiras, entre outros. Qualquer dúvida ou procedimento errado nesse momento pode fazer com que todo o processo se atrase e até que dinheiro seja perdido.

Por mais que a compra de um carro novo seja algo que lhe oferecerá segurança e garantia, tome todas as precauções acima, pois são extremamente importantes para evitar dores de cabeça posteriores.

Esperamos que a tarefa de comprar um carro novo tenha ficado mais simples para você. Curta o nosso Facebook e fique por dentro de mais novidades!

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas. Solicitar contato agora. 

Confira nossas dicas para comprar um carro usado sem dor de cabeça!

Com os preços dos veículos 0km cada vez mais altos no país, só resta uma alternativa para a maioria dos brasileiros: comprar um carro usado. Isso pode até se transformar em vantagem, tendo em vista que ele é bem mais acessível e não conta com a desvalorização rápida, como ocorre com o carro novo.

Sendo assim, confira nossas boas dicas para você comprar um seminovo sem erros e só ver benefícios nessa escolha! Acompanhe!

Comece por algumas checagens

Pra começar, ao se interessar por um veículo, você deve tomar algumas medidas iniciais que são:

  • informar-se sobre a procedência do veículo — se, no caso, ele pertencer a um particular — e aproveitar o momento para questionar o porquê da venda;
  • verificar se está tudo certo com a documentação. Confira o modelo, se tem multas e se o número do chassi confere com o documento (para verificar se o carro é roubado);
  • buscar informações se o veículo passou por todas as revisões obrigatórias, tendo em vista que veículos que estão ainda na garantia podem perdê-la, caso a revisão não tenha sido efetuada;
  • antes de fechar o negócio, peça para algum profissional de confiança verificar detalhes que você não tenha muito conhecimento;
  • por fim, fazer um test-drive. Para isso, pegue um caminho com retas para observar se o volante não puxa, se o carro não vibra em excesso, entre outros sinais que podem apontar problemas.

Compare preços em feiras de automóveis, agências e concessionárias

Para quem deseja comprar carro usado, o ideal é fazer uma pesquisa de preço, visto que pode haver discrepância nos valores de uma agência ou concessionária para outra. Assim, apesar de dar um certo trabalho, esse cuidado pode lhe garantir uma boa economia.

Fique atento aos detalhes – armadilhas existem

Nem sempre o que é dito pelo vendedor ou proprietário do veículo condiz com a verdade. Por isso, ao comprar um carro usado, faça uma análise dos detalhes. Algumas marcas no carro podem sinalizar se ele é mais rodado do que mostra o hodômetro.

Volante e pedais gastos (especialmente, o da embreagem) e estofamento surrado podem ser alguns dos sinais de que você está sendo enganado. Esses detalhes, acredite, são valiosos e podem realmente lhe dizer o tempo de uso do carro.

Verifique se ele já passou por enchentes

Um dos sinais para saber se o carro ficou alagado em alguma enxurrada é o cheiro, que pode estar presente mesmo se tentarem disfarçá-lo com sachês perfumados, por exemplo. Outra forma seria encontrar vestígios de barro e lama em lugares mais escondidos.

Pesquise se o preço é justo

Uma boa dica na hora de comprar um carro usado e não pagar mais do que ele vale é consultar a tabela FIPE ou mesmo o Jornal do Carro. Essas informações servem de referência para saber o preço de carros usados e seminovos. Dessa forma, é possível evitar comprar carros muito caros ou com preços muito baixos, pois, na maioria das vezes, apresentam algum problema.

Verifique se o carro possui pendências jurídicas

A maneira mais usual de checar se o carro está com seus impostos em dia é consultar o DETRAN, a Secretaria da Fazenda e a prefeitura da cidade. Com o CNPJ e/ou CPF em mãos, é possível verificar se existem débitos do veículo em questão por meio dos sites desses órgãos.

Dê preferência para marcas que vendam bem

Escolher a marca de carro pelo volume de vendas no mercado e pelo tamanho da rede de concessionárias é importante. Isso porque esses detalhes podem ser determinantes em questões como facilidade de reposição e custo das peças. Na maioria das vezes, carros que já saíram de linha podem se tornar um grande problema. Fique atento!

Confira os carros com menor custo de manutenção (IMV)

Com a finalidade de manter os consumidores informados, o Cesvi elaborou um ranking dos carros com custos de manutenção mais em conta do Brasil. Teve por base os dados fornecidos pela Fenabrave. Confira!

  • Celta;
  • Novo Uno;
  • Fiorino;
  • Ethios Hatch;
  • Gol;
  • Voyage;
  • Classic.

Se você gostou do artigo sobre dicas para comprar carro usado, siga-nos nas redes sociais para acompanhar mais novidades sobre o assunto. Encontre-nos no Facebook e no LinkedIn!

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas. Solicitar contato agora. 

Como preparar o carro para a venda?

Quando o assunto é a venda de carro, uma coisa é certa: a forma como o bem é apresentado aos possíveis compradores é determinante para concretização de um bom negócio. Dessa forma, saber preparar o carro para a venda é o primeiro passo para quem deseja ver o seu veículo bem valorizado.

Agora eu lhe pergunto: você sabe como preparar o carro para a venda? Sabe quais os cuidados e medidas tomar? Não? Então, esse post é para você! Confira algumas informações valiosas que separamos para te ajudar nessa hora:

1. Faça uma revisão

Realizar uma revisão prévia pode ser muito útil para evitar surpresas desagradáveis que frustrem o negócio ou gerem alguma desvalorização.

Nessa revisão diversos itens devem ser analisados, tais como:

  • estado dos pneus — caso necessário, devem ser substituídos. Não esquecer do estepe;

  • condições do motor e câmbio;

  • sistema de freios;

  • amortecedores;

  • parte elétrica etc.

Ter a certeza de que todos esses itens estão em ordem, além de te eximir de responsabilidades, caso algum vício ocorra no futuro, pode, ainda, gerar uma valorização no preço de venda, já que veículos de boa procedência são sempre mais bem valorizados. Isso acaba compensando os eventuais gastos que possa ter para realizar essa revisão.

2. Realize uma boa limpeza

Um carro limpo e impecável, certamente despertará mais interesse de possíveis compradores. Por isso, antes de colocar o seu carro à venda é fundamental dar uma geral, tanto na parte interior quanto exterior.

Aos olhos do comprador demonstrará que você cuida bem do carro, o que facilitará a negociação, deixando-o mais tranquilo de estar fazendo uma boa aquisição. 

Uma dica é procurar empresas especializadas na lavagem e realizar a limpeza de bancos, carpetes etc. Na parte externa, a pintura merece atenção. Uma polida é essencial para dar brilho e melhor os aspecto do veículo.

3. Verifique a documentação necessária

Outro ponto fundamental na hora de preparar o carro para a venda é conferir se toda a sua documentação está em dia.

Esse cuidado facilita e agiliza a parte burocrática do negócio que deve ser feita junto ao órgão de trânsito. Nessa hora, é recomendado conferir itens simples, como:

  • situação do IPVA, licenciamento e seguro obrigatório — esses tributos devem estar quitados para que você consiga realizar a transferência de propriedade do veículo;

  • multas — esse é um cuidado básico, mas que muitos proprietários acabam se esquecendo, muitas vezes por acreditar que não cometeram nenhuma infração. Mas, não custa conferir!

  • consultar a existência de gravames — gravames são restrições impostas ao bem e que o impedem, por exemplo, de ser transferido. Geralmente são os bancos quem realizam esse tipo de solicitação, principalmente durante contratos de financiamento.

  • CRV (Certificado de Registro de Veículo) — é preciso estar com esse documento em mãos, pois ele é indispensável na hora de realizar a transferência do veículo. Importante mencionar que esse não é o mesmo documento que utilizamos para rodar com o carro. No momento da transferência do veículo o CRV deve ser preenchido com muito cuidado para evitar rasuras com os dados do novo proprietário no momento da venda de um veículo, evitando assim ter que emitir a segunda via do documento para, só depois, realizar a transferência.

  • Comunicado de venda – A recomendação geral é sempre preencher o documento com os dados do comprador no momento do fechamento do negócio. Se você vendeu seu veículo, é importante realizar a Comunicação de Venda ao Detran dentro de um prazo legal de trinta (30) dias, de forma a isentá-lo de qualquer responsabilidade civil ou criminal sobre ocorrências que possam acontecer com o veículo (Acidente com o veículo, Infrações de Trânsito, etc…). Caso não faça, o proprietário torna-se responsável solidário pelas penalidades impostas e suas reincidências até a data da comunicação.

Esses são cuidados bem simples e que podem facilmente ser realizados pela internet.

4. Pesquise antes

Antes de anunciar o seu carro, é necessário também saber o seu valor médio de mercado. Assim fica mais fácil analisar propostas e fechar um bom negócio.

Nessas horas você pode utilizar como parâmetro de valor a tabela FIPE ou pesquisar anúncios na internet, por exemplo.

5. Elabore um anúncio de qualidade

Como dito inicialmente, a forma como você apresenta o carro para a venda diz muito a respeito da possibilidade de fechar um bom negócio.

Um anúncio bem-feito e que contenha as informações relevantes sobre o seu veículo é fundamental. Informações como a quilometragem, por exemplo, são indispensáveis. Além disso, não se esqueça de colocar fotos de diferentes ângulos e de boa qualidade, para que o comprador possa avaliar melhor as condições estéticas.

Por fim, preparar o carro para a venda é muito mais simples do que parece. Mas, apesar de simples, essa medida pode render uma negociação mais vantajosa do que esperava.

Gostou das dicas sobre como preparar o carro para a venda? Ainda tem alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo nos contando! 

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas. Solicitar contato agora. 

 

Entenda os Benefícios do Financiamento de Veículos e Como Ele Funciona!

Se você pretende trocar seu automóvel antigo por um modelo mais recente ou por um carro zero, terá diante de si as opções de comprá-lo à vista ou financiá-lo. Embora o ideal seja comprá-lo à vista, o tempo necessário para juntar todo o dinheiro pode tornar a opção do financiamento mais viável. Por isso, no post de hoje listamos alguns benefícios do financiamento de automóveis para mostrar-lhe como essa opção pode ajudá-lo a conquistar seu carro novo. Confira!

Entenda como funciona o financiamento

O financiamento é uma maneira de adquirir um bem de forma parcelada. Permite à pessoa que não tem capital suficiente para comprar o automóvel à vista, possa fazê-lo em prestações que caibam no seu orçamento.

Ao fazer uma proposta de financiamento, o comprador passa por uma análise de crédito e da capacidade de pagamento pela instituição financeira. Se aprovado, o comprador geralmente terá que pagar entre 10% e 20% do valor do bem de entrada, sendo que o banco financiará o restante com juros.

A forma mais comum de financiamento é o Crédito Direto ao Consumidor (CDC), com a alienação fiduciária do veículo em favor do banco. Nessa modalidade de financiamento, o consumidor recebe o valor do empréstimo contrato diretamente em sua conta-corrente, a fim de viabilizar a compra do automóvel. Porém, durante o prazo de vigência do contrato o veículo ficará fiduciariamente alienado para o banco em garantia do pagamento.

Isso significa que embora o carro fique com o comprador, a propriedade pertencerá ao banco até o fim do pagamento do financiamento. Depois de quitado, o veículo passa então para o nome do comprador, que poderá dispor dele livremente. Como o próprio carro serve como garantia do empréstimo, se o comprador não honrar o pagamento o banco poderá tomar o veículo e levá-lo a leilão, para quitar as parcelas restantes.

Como você pode perceber, o financiamento é indicado para quem não pode esperar para adquirir o bem a vista, mas tem parcela de seus rendimentos livre, permitindo o pagamento das prestações.

Conheça os benefícios do financiamento

Agora que você já sabe como funciona o financiamento de automóveis, listaremos abaixo as principais vantagens de adquirir seu automóvel dessa maneira. Veja:

Você já sai dirigindo

Como você já deve ter percebido, a maior vantagem do financiamento é poder comprar o tão sonhado carro novo ou usado sem precisar ter todo o dinheiro em mãos. O carro zero Km mais barato no mercado custa hoje algo por volta de 32 mil reais. Vamos supor que você consiga poupar cerca de R$ 700,00 mensais. Nesse caso, você levará quase 04 anos para comprar seu carro novo. É muito tempo! 

Com o financiamento, você não precisará esperar vários anos de privações para comprar seu automóvel. Depois de aprovado pelo banco, você irá escolher o modelo preferido, fechar o negócio e sair dirigindo!

É mais fácil comprometer-se com seus objetivos

Pode ser que durante o período em que você esteja juntando o dinheiro para comprar o carro, você “caia na tentação” e utilize parte do valor poupado para outras finalidades, adiando ainda mais o seu sonho de trocar de automóvel. Caso você financie o veículo, você terá se comprometido com o seu objetivo mensal e se lembrará disto antes de gastar seu dinheiro com outros bens. 

Possibilidade do pagamento adiantado de parcelas

Muitas pessoas têm receio de adquirir um automóvel no financiamento por medo dos juros, mas se esquecem que ao antecipar as parcelas é possível reduzi-los consideravelmente. Assim, você tem o veículo em mãos imediatamente e reduz os juros e prazo conforme a sua disponibilidade financeira.

Mas é preciso alertá-lo que, ao fazer o financiamento, você deverá estar ciente de que assumirá um compromisso financeiro que poderá levar anos para ser quitado. Por isso, será necessário fazer um cuidadoso planejamento, que deverá levar em conta os demais custos do veículo, como o IPVA, manutenção, seguro etc. Além disso, você deve limitar o valor das prestações a um percentual de seu salário que lhe seja confortável e que não comprometa sua qualidade de vida.

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas. 

 

 

Você sabe o que é refinanciamento? Saiba tudo sobre essa modalidade!

Em uma época de crise e com o mercado desaquecido, todos procuramos uma maneira de ter um dinheiro extra. Existem várias formas disponíveis para se conseguir um empréstimo, com vários prazos de pagamento e juros diferentes.

Uma alternativa que vem conquistando cada vez mais brasileiros é a do refinanciamento de veículos. Essa modalidade varia de acordo com o carro que você possui, qual a quantia deseja e quantas parcelas vão ser feitas.

Tiraremos as dúvidas sobre o que é refinanciamento neste post. Acompanhe!

Como funciona

Basicamente, o interessado na modalidade pega um empréstimo com o banco (ou qualquer instituição financeira) e dá o carro em seu nome como garantia. Caso não consiga pagar as prestações corretamente, o banco pode ficar no final com o veículo.

Geralmente se faz esse tipo de empréstimo com o carro quitado, mas é possível conseguir com algumas prestações ainda a pagar do veículo, sendo que parte do dinheiro conseguido será destinado a pagar essas prestações restantes.

Não é necessário demonstrar para que esse dinheiro será usado, você pode usá-lo da forma que quiser.

Quanto é possível conseguir

O valor de mercado de seu carro é o que determinará a quantia que você poderá pegar. Dependendo da instituição, pode-se conseguir até 100% do valor do veículo.

Isso significa que, quanto mais novo seu carro for, mais dinheiro conseguirá emprestado. A grande maioria dos bancos só aceita carros com até dez anos de uso.

Prazos e juros

O prazo para pagar as parcelas é outro fator que varia muito, mas geralmente as instituições trabalham com até 60 meses de prazo.

Em relação aos juros, essa é uma grande vantagem do refinanciamento. Como você dará o carro como garantia, os juros costumam estar entre os mais baixos entre os empréstimos pessoais, e vale uma boa pesquisa para saber quais os menores oferecidos.

Pode-se também antecipar parcelas caso entre um dinheiro a mais, conseguindo descontos nos juros. Só para comparar, a taxa do refinanciamento pode ser de dois por cento, enquanto que cheque especial e cartão de crédito podem chegar até doze por cento.

O que é necessário para se conseguir

Para se requerer o empréstimo, dirija-se até a instituição munido de cópia de RG e CPF, comprovante de residência e renda. Você pode ainda acessar o site www.financiatudo.com.br e finalizar seu cadastro. 

No caso do veículo, apresente Certificado do Veículo e CNH. É bom levar também todas as parcelas já pagas do veículo, caso ainda não seja quitado.

Pesquise muito

É muito importante uma boa pesquisa sobre o que é refinanciamento e quais as instituições que oferecem esse tipo de empréstimo que são confiáveis no mercado.

Procure informações com conhecidos que já fizeram esse tipo de negócio, e busque instituições reconhecidas no mercado. Pesquise por juros e prazos que você consiga cumprir, e não se esqueça também de olhar com calma o real valor de mercado do seu veículo.

Muita gente ainda tem dúvidas sobre o que é refinanciamento de veículos, mas com uma boa pesquisa ele pode ser uma ótima alternativa para empréstimo pessoal com juros bem baixos.

Gostou do post? Conhece alguém que pode se beneficiar do refinanciamento? Compartilhe nas suas redes sociais!

Faça contato com nossos especialistas para conhecer no detalhe todos os produtos e ainda tirar suas dúvidas.

1 9 10