Blog Financia Tudo: Financiamentos, Seguros e Consórcios

Saiba Como Fazer Uma Simulação De Empréstimo Para Capital De Giro Com o Simulador

Para um bom funcionamento do negócio é necessário ter capital de giro. Se sua empresa não tiver, primeiramente você terá que fazer um empréstimo para capital de giro no simulador.

Ao simular um possível empréstimo você analisa a quantidade de parcelas que irá pagar e o seu valor mensal. Assim, saberá se consegue arcar com essa despesa.

Há vários tipos de empréstimos no mercado e várias instituições que o realizam. Por isso, você deve pesquisar qual opção tem as menores taxas e qual irá melhor lhe atender.

Receber um crédito extra pode ser uma solução para suas finanças, fazendo com que você retome o bom funcionamento do seu negócio sem necessidade de cortar gastos que comprometam a produtividade.

Porque fazer um empréstimo para capital de giro no simulador

Fazer um empréstimo para capital de giro no simulador nada mais é do que fazer um teste, como se você estivesse fechando o contrato, mas sem fechar.

O dinheiro que você pegar vai lhe custar mais dinheiro, por isso você deve saber se essa forma de crédito valerá a pena, ou seja, se o quanto você irá pagar compensará as vantagens que vai ter.

No simulador você verá qual será a variação de juros, qual o valor das parcelas que serão pagas, qual será o custo total da operação, qual será o prazo para quitar as parcelas e muitas outras coisas.

Com os dados obtidos você poderá saber se o empréstimo se encaixa no seu orçamento e se você conseguirá quita-lo sem aperto, até porque você não quer ficar com um rombo no orçamento.

Fazer um empréstimo para capital de giro no simulador antes de aderir ao contrato é primordial para que você tenha certeza do que será cobrado. Assim você garante que o dinheiro será uma ajuda e não mais uma dor de cabeça.

Vantagens de fazer um empréstimo para capital de giro no simulador

Fazer uma simulação antes de fechar contrato tem muitas vantagens. Confira algumas delas:

  • Ganhar credibilidade

Para que você consiga um empréstimo é fundamental que você tenha credibilidade com a instituição onde irá fazer. O gerente precisa ter confiança em você antes de emprestar o dinheiro.

Ao fazer uma simulação você mostra que está certo de que o empréstimo é a melhor opção para você e que você está ciente de que é capaz de arcar com essa dívida.

Uma pessoa que não busca informações a respeito do pagamento pode parecer descaso, como se não tivesse nem ai para o que precisa pagar.

Ou seja, quando o gerente perceber que você já está a par da situação e sabe que é isso que realmente precisa, ele terá maior credibilidade em você, pois verá que você é uma pessoa empenhada.  

  • Comparar os preços entre as instituições de empréstimo

Você poderá utilizar os dados gerados no simulador de um banco para comparar com outros dados gerados em um simulador de outros bancos. Assim, você consegue saber qual a melhor proposta.

Avalie o preço total, formas de pagamento, prazos, carência, tipo de parcelamento, valor da parcela, taxas de juros e outros detalhes que irão mostrar se determinado banco vale a pena ou não.

Pegue o maior número de simulações possíveis e compare-as. Analise qual a mais barata e qual será mais adequada para o seu caso.

  • Verificar se o empréstimo está de acordo com sua realidade

Fazer um empréstimo para capital de giro no simulador fará com que você avalie qual será o impacto no seu orçamento. Veja se ele está compatível com sua realidade financeira.

Analise se você conseguirá recuperar esse dinheiro a tempo de conseguir arcar com as parcelas. Você às vezes, pode descobrir que essa não é a melhor opção.

Existem várias outras formas de conseguir capital de giro. Por isso, você deve saber se essa é a melhor opção para você.

Como fazer um empréstimo para capital de giro no simulador

A forma mais simples de fazer uma simulação é pedindo para uma instituição financeira. Você deve conversar com o gerente e demonstrar interesse no empréstimo.

Ele irá lhe fornecer a simulação pessoalmente. Se você quiser, existem alguns bancos que possuem simuladores online. Lá você mesmo pode acessar e simular.

Além dos bancos, uma ótima opção para fazer sua simulação é na Financia tudo. É só entrar no site www.financiatudo.com.br e acessar o simulador.

A simulação pode ser feita de forma simples, rápida, fácil e sem custo algum. E você ainda se previne de sufocos futuros.

Foi possível aprender como fazer um empréstimo para capital de giro no simulador. Compartilhe com seus amigos e veja nosso próximo conteúdo sobre Como funciona o empréstimo com garantia de imóveis.

Entenda Como Funciona o Refinanciamento Imobiliário e Faça o Seu!

Basicamente o refinanciamento imobiliário é um empréstimo onde você oferece um imóvel de garantia em troca de crédito. Caso você não consiga quitar a dívida, o imóvel não será mais seu.

Ele se diferencia do financiamento de imóvel, pois no segundo caso você deseja adquirir um imóvel, pega o dinheiro na instituição para pagá-lo a vista e vai quitando aos poucos o empréstimo.

Já no refinanciamento imobiliário o imóvel já é seu e você o coloca como garantia de um empréstimo, onde o dinheiro será utilizado para a finalidade que você desejar.

Nesta modalidade de crédito o imóvel continua em seu nome e será alienado fiduciariamente à instituição credora, o que não o impede de ter a posse direta do imóvel.

Quais as vantagens do refinanciamento imobiliário?

Esse tipo de empréstimo tem sido muito utilizado devido aos grandes benefícios que podem trazer para quem está precisando de dinheiro. Veja algumas vantagens dessa linha de crédito.

  • Taxa de juros menores

Como você está dando um imóvel de garantia para seu empréstimo, os riscos da operação diminuem, fazendo com que a instituição financeira possa cobrar taxas bem menores do que o empréstimo tradicional.

  • Prazos de pagamentos maiores

Os prazos de pagamento podem ser bem extensos, o que faz com que a parcela tem um valor menor, tornando acessíveis a mais pessoas.

Outro ponto importante é que o faturamento de sua empresa também poderá ser utilizado como base para definir o valor que pode pagar por mês de parcela.

  • Empréstimos de alto valor

O mesmo motivo dos juros serem menores, funcionam também para o valor do empréstimo. Como o banco tem uma garantia ele terá menos riscos ao elevar o valor.

Quanto maior o valor do imóvel, maior será a chance de você ter um crédito mais alto liberado. Na média é liberado 50% do valor que seu imóvel for avaliado pelo agente financeiro.

  • Poder fazer o que quiser com os recursos

No refinanciamento imobiliário não é necessário dizer qual será a destino do dinheiro, ou seja, você pode utilizá-lo para o que quiser. Já nas outras modalidades de crédito você precisa ter uma destinação específica.

Aqueles clientes que possuem dívidas no banco e desejam quita-las pode utilizar essa modalidade. Assim pagam as dívidas e ainda ficam com o “troco” para fazer o que quiser. Depois é só ir quitando as parcelas aos poucos.

Como são definidos os prazos de quitação e taxas do refinanciamento imobiliário

É possível encontrar prazos de quitação de até 20 anos, dependendo do valor do crédito, do valor da parcela e do banco onde será feito.

O cliente terá flexibilidade para escolher a modalidade de amortização que for mais conveniente para seu planejamento financeiro. As duas formas utilizadas são a tabela price e o Sistema de Amortização Constantes – SAC.

No primeiro o valor das prestações é sempre igual. Já no segundo a parcela começa maior e vai diminuindo ao longo do tempo.

As taxas de juros também irão variar de acordo com a instituição financeira que você escolher. Por isso, é importante que você faça uma pesquisa de mercado para encontrar a melhor opção.

Sua renda irá influenciar para que você consiga o empréstimo. A prestação não pode passar de 30% do seu orçamento mensal. O ideal é que seja até 15% para que você não tenha problemas futuros por não conseguir pagar.

Dicas para o refinanciamento imobiliário

Para facilitar sua vida nós vamos te dar algumas dicas que irão te ajudar a conseguir um empréstimo da melhor forma possível.

  • Pesquise, faça simulações e compare os preços

Depois que você decidiu que precisa de um empréstimo, a primeira coisa que precisa fazer é pesquisar qual banco vai te dar as melhores condições do mercado.

Informe-se sobre as taxas de juros, o valor das parcelas, os prazos, a renda mínima necessária, etc. Faça uma simulação em cada uma das instituições financeira (isso pode ser feito online).

Você pode fazer sua simulação na Financia Tudo. Basta acessar a página www.financiatudo.com.br/refinanciamento-de-imoveis/ e clicar na opção “Quero financiar”.

  • Planeje seu orçamento

Antes de fechar o contrato tenha certeza que você conseguirá arcar com a dívida. Não faça um empréstimo que possa prejudicar seu futuro. Até porque você corre o risco de perder o seu imóvel.

Faça um planejamento para incluir os valores da parcela em seu orçamento, sem que pese ou que tenha dificuldade para pagá-las.

Passos para fazer um refinanciamento imobiliário

A Financia Tudo dispõe de várias instituições credenciadas e sua pré-análise é feita em, no máximo, 30 minutos.

Eles irão retornar para você dizendo se seu cadastro foi pré-aprovado ao não. Caso a resposta seja positiva, eles irão solicitar dados adicionais e alguns documentos necessários.

Seus documentos serão analisados e se for aprovado, você só precisará assinar o contrato.

Agora você já aprendeu um pouco mais sobre como funciona o refinanciamento imobiliário. Compartilhe com seus amigos e acesse nosso próximo conteúdo sobre Fontes de financiamento de capital de giro em longo prazo.

Como Funciona o Empréstimo Com Garantia de Imóveis

Existem várias formas de empréstimo no mercado, mas nem sempre todas oferecem boas condições de pagamento e juros baixos. Por isso, muitas vezes o empréstimo com garantia de imóveis pode ser a melhor opção.

Esse tipo de crédito oferece juros bem baixos e prazos maiores para o pagamento. Por isso, se você tem um bem, pode utiliza-lo para conseguir empréstimos mais vantajosos.

O requisito básico é que você tenha um imóvel em seu nome que servirá como garantia. Muitas pessoas deixam de realizar sonhos por falta de dinheiro, mas isso pode ser alterado.

Esse empréstimo também é chamado de alienação fiduciária, refinanciamento de imóvel ou home equity.

Neste sistema de crédito você oferece seu imóvel em garantia, normalmente bem superior ao valor do empréstimo. Esta garantia permite às instituições financeiras concederem crédito com longos prazos para pagar e juros bem pequenos

Por que os juros do empréstimo com garantia de imóveis são mais baixos?

As instituições conseguem reduzir os juros quando seu imóvel está em garantia especialmente em razão da baixa inadimplência.

Ao ter menores riscos de não receber o dinheiro de volta, ela consegue proporcionar condições melhores aos seus clientes.

Você pode morar, alugar ou vender o imóvel?

Durante o prazo que financiar você poderá usufruir integralmente do imóvel, até porque o imóvel continuará em seu nome, apenas com cláusula de alienação fiduciária ao agente financeiro.

É possível continuar morando, alugando ou até mesmo vender, desde que você pague a dívida ou o novo comprador transfira para si o financiamento e continue pagando.

Você pode perder o imóvel?

Sim. Caso você não pague as parcelas, isso pode vir a acontecer. Porém, esse processo é demorado e complicado, por isso, essa é a última opção do banco. Ele tenderá de todas as formas para que você consiga pagar o débito.

Se você não pagar ele poderá ir a leilão e o valor da venda será utilizado para amortizar a dívida. Se o valor da venda for maior que o saldo devedor do contrato o restante é devolvido ao financiado. A venda prevê apenas repor as perdas e o banco não pode ter lucros.

.Além disso, o bem parado não rende juros e pode ser que o banco nem consiga se desfazer dela. Isso não quer dizer que você deva relaxar e não pagar as parcelas, pois ainda existe o risco de perder o imóvel.

Vantagens de fazer um empréstimo com garantia de imóvel

Essa modalidade é muito indicada para aquelas pessoas que precisam de uma quantia alta de empréstimo e está ganhando bastante destaque no meio de crédito.

A linha de crédito é livre, o que faz com que você possa utilizar o dinheiro para o que quiser, sem precisar justificar o destino da quantia.

Os prazos para terminar de pagar são bem longos. Você pode chegar a até ter vários anos para quitar as dívidas.

A maior vantagem é poder ter juros baixos, parcelas que cabem no seu bolso e bastante tempo para pagar a dívida, sem comprometer o orçamento.

Como fazer um empréstimo com garantia de imóvel

Como qualquer outro empréstimo você precisará passar por umas etapas para aprovação do seu crédito. Elas podem ser mais demoradas do que o empréstimo convencional.

Além disto, as certidões do imóvel e do proprietário deverão estar todas corretas para que o cartório finalize a alienação.

Para fazer um empréstimo com garantia de imóvel você deverá solicitá-lo e levar a documentação necessária. Depois é só aguardar a aprovação e assinar o contrato.

Alguns dos documentos necessários são:

  • RG e CPF ou CNH (do casal);
  • Se solteiro, Certidão de Nascimento;
  • Se casado, Certidão de Casamento;
  • Comprovante de Residência atualizado
  • Matrícula do imóvel
  • Capa de IPTU
  • Declaração Negativa de Débitos de Condomínio.
  • Comprovante de renda

 

A melhor forma de fazer o empréstimo é através da Financia Tudo. Lá você encontra as menores taxas de juros e as melhores formas de pagamento. Acesse www.financiatudo.com.br/refinanciamento-de-imoveis/ e faça a simulação.

Qual a diferença entre alienação fiduciária e hipoteca?

A diferença entre um e outro está no contrato feito entre a instituição e o cliente. Hipoteca também exige um bem para assegurar a dívida, mas o processo é bem mais burocrático.

São tantas barreiras legais que tornam a operação com hipoteca inviável, demorada e cara ao financiado.

Estes são os principais motivos que as instituições optam sempre em fazer empréstimos com garantia de imóvel apenas com alienação fiduciária

Com a hipoteca, o imóvel continua em seu nome, dificultando a retomada do bem pela instituição financeira. Já a outra opção o dono transfere a propriedade para a instituição até o fim do contrato.

Alienando o imóvel o proprietário continua com o imóvel em seu nome e a instituição credora com a posse indireta, o que facilitará em casos onde tenha que retomar a posse por não pagamento das parcelas.

O empréstimo com garantia de imóveis pode ser a melhor solução para você. Por isso vá até uma instituição financeira e análise essa possibilidade. Veja também o artigo Entenda como funciona o refinanciamento imobiliário.

 

Por que Fazer Um Financiamento De Capital De Giro?

Ter um capital de giro é fundamental para que sue negócio consiga manter-se ativo. Porém, nem todas as empresas conseguem ter e acabam recorrendo ao financiamento de capital de giro.

Quem possui uma empresa sabe que é necessária a movimentação financeira constante e que às vezes precisa de dinheiro para capitalizar. Para isso, você pode encontrar financiamentos a curto, médio e longo prazo.

O capital de giro nada mais é do que o resultado entre a diferença de dinheiro que você possui em caixa e o dinheiro que você deve. Ele é a quantidade de dinheiro que seu negócio precisa para funcionar regularmente.

O financiamento de capital de giro irá te ajudar a suprir suas carências e reorganizar seu fluxo de caixa. Porém, nada adiantará se você não tiver uma boa gestão do seu negócio.

Quais as garantias para o financiamento de capital de giro?

Dependendo do tipo de financiamento, para que você consiga realizá-lo será necessário que você ofereça garantias à instituição financeira. São várias as opções que podem ser oferecidas, como:

  • Máquinas e equipamentos
  • Veículos
  • Hipoteca
  • Penhor de recebíveis
  • Penhor Mercantil
  • Penhor de Quotas de sociedade Limitada
  • Penhor de ações
  • Penhor de títulos
  • Penhor de direito creditórios
  • Duplicatas
  • Cessão de crédito
  • Cheques
  • Entre outros

Características do financiamento de capital de giro em longo prazo

O financiamento em longo prazo é aquele que possui dívida maior que um ano, mas geralmente varia de 5 a 20 anos. Ele possibilita que você dê uma alavancada financeira no seu negócio.

Várias cláusulas são incluídas nos contratos de empréstimo, que especificam alguns critérios a respeito de registros e relatórios contábeis, de manutenção geral do negócio por parte da empresa tomadora e do pagamento de impostos.

Contrato de empréstimos em longo prazo normalmente incluem certas cláusulas restritivas, impondo algumas restrições operacionais e financeiras ao tomador. Essa é uma forma dele se precaver dos riscos.

Vantagens de fazer um financiamento de capital de giro

Existem várias vantagens de contratar um financiamento. Uma delas é que você não precisa comprovar a destinação de recursos, podendo utilizá-lo para o que desejar.

A outra vantagem é que a forma de contratar um financiamento de capital de giro é bem descomplicada, ou seja, seu crédito poderá ser aprovado de forma simples e fácil, sem muita burocracia.

O empréstimo pode ter prazos bem flexíveis, que serão negociados de acordo com sua necessidade. O recurso é liberado através de conta corrente, podendo ser sacado a hora que quiser.

Geralmente o financiamento tem juros baixos, pois você oferece garantias para o banco em troca. Isso faz com que os riscos diminuem e eles possam fornecer melhores taxas e valores para você.

Quando as garantias do crédito forem hipotecas, avalistas e notas promissórias, os juros serão mais altos.

Como fazer o financiamento de capital de giro

Antes de começar a procurar um empréstimo será necessário saber qual a quantia que você precisa e quando você conseguirá quitar toda a dívida. Tente usar prazos bem realistas, levando em conta que imprevistos acontecem.

Pesquise em vários locais diferentes e conheça detalhadamente as linhas de crédito, as taxas de juros, formas de pagamento, valor da parcela e tudo mais que você precisa saber.

Faça simulações online no site das instituições financeiras. Isso vai fazer com que você tenha controle e saiba o que irá pagar. Fique atento ao valor da parcela. Você deverá ter dinheiro suficiente para paga-la todo o mês.

O planejamento é necessário para que você consiga pagar em dia as parcelas, evitando pagar juros sobre juros, o que poderá virar uma bola de neve, ficando cada dia mais difícil de manter.

O limite que você deverá financiar vai ser definido com relação à capacidade de pagamento da sua empresa.

O financiamento de capital de giro é diferente dos outros em alguns fatores como: prazos, taxas, tributação de impostos, garantias, concentração de crédito com clientes, entre outros.

Quanto mais tempo durar o seu financiamento, maiores serão as taxas de juros. Isso acontece pelos seguintes fatores:

  • A expectativa de maiores taxas futuras de inflação;
  • A preferência do banco em fazer empréstimos em períodos mais curtos, mais líquidos
  • A maior demanda por financiamento em longo prazo ao invés de curto prazo.

Com prazos longos o banco terá uma previsão menor a respeito das taxas futuras e assim, terá mais riscos de perder. Além disso, o prazo maior aumenta o risco de incobráveis associados ao financiamento.

Por isso, tente fazer em prazos menores possíveis, desde que não comprometa sua renda e acabe atrapalhando o seu orçamento.

Um ótimo lugar para você fazer o seu financiamento é na Financia Tudo. Por isso, acesse o site www.financiatudo.com.br e conheça os produtos disponíveis para você.

O Financiamento de capital de giro é uma ótima forma para quem quer conseguir crédito para sua empresa. Quer saber mais sobre esse assunto? Leia sobre Como conseguir capital de giro

Entenda Tudo Sobre o Empréstimo Com Refinanciamento De Veículos

Você está querendo fazer um empréstimo, mas ainda não sabe qual opção escolher? O empréstimo com refinanciamento de veículos pode ser uma ótima opção.

Ele é uma alternativa bem vantajosa para aqueles que desejam contornar o aperto financeiro ou usar o dinheiro para investir em algo. As condições, taxas e prazos são mais atraentes do que os empréstimos tradicionais.

Nessa modalidade você pede um empréstimo em uma instituição financeira e oferece como garantia o seu veículo. Assim, caso você não pague, eles podem tomar o seu bem.

Por esse motivo os prazos são menores, devido ao baixo risco que a instituição possui. Vamos conhecer um pouco mais sobre essa modalidade.

 

Como funciona o empréstimo com refinanciamento de veículos

Nessa modalidade você coloca seu veículo a disposição da instituição financeira e enquanto durar o contrato o veículo ficará alienado ao banco, porém a posse continuará sendo sua.

Você pode contratar um empréstimo com refinanciamento de veículos no valor de até 80% da cotação (Fipe ou Molicar). Neste caso a sua renda que definirá o quanto pode pagar de parcela mensal.

Por ser uma operação com baixos riscos para o banco, ele consegue oferecer taxas bem baixas e prazos a perder de vista. Assim, as parcelas ficam pequenas e acessíveis a muitas pessoas.

Quando você acabar de quitar todas as parcelas, o carro voltará a ser seu em definitivo. Para fazer o empréstimo com refinanciamento de veículos você deverá ir até o banco levando seus dados e os dados do automóvel.

Poderá ainda preencher seu cadastro online e enviar diretamente para análise de crédito.

O banco irá analisar sua linha de crédito e lhe conceder o empréstimo ou não. Você só poderá fazer o refinanciamento se o automóvel estiver totalmente quitado, salvo quando estiver alienado à mesma instituição que aprovou seu crédito.

Neste caso a liberação acontece porque o saldo é quitado e o banco devolve a diferença.

Antes de pedir um empréstimo é aconselhável que você faça várias simulações em várias instituições diferentes. Isso vai permitir que você compare as ofertas e veja qual melhor lhe atenderá.

Elas podem variar bastante de um banco para outro, por isso, é bom fazer uma comparação. Veja as taxas, formas de pagamento, prazo, montante oferecido, valor das parcelas, etc.

Você não precisa fazer um empréstimo apenas no banco. Pode optar também por financiadoras. A vantagem de optar por elas é que a burocracia e tempo de aprovação são bem menores comparados a qualquer banco.

Uma das melhores financeiras do país é a Financia Tudo. Faça a simulação do seu empréstimo e veja que você terá as melhores taxas e formas de pagamento do mercado.  

Depois de fazer a simulação é só esperar a instituição aprovar o empréstimo e você já poderá assinar o contrato.

Qual a melhor maneira de se programar para fazer um empréstimo com refinanciamento de veículos?

Antes de fazer o empréstimo você precisa estar programado para arcar com as despesas. Nesse momento é necessário fazer uma avaliação do seu orçamento.

O valor da parcela não poderá ultrapassar 30% da sua renda mensal. Porém esse valor ainda sim é muito alto. O ideal é considerar até 15%, para que não possa gerar problemas futuros no seu orçamento devido a imprevisto.

Faça um planejamento para saber quanto poderá pagar por mês e quanto você realmente irá precisar de empréstimo. Aconselhamos nunca pegar mais dinheiro do que realmente precise.

Quais as vantagens do empréstimo com refinanciamento de veículos?

Esse tipo de empréstimo tem sido muito utilizado devido aos grandes benefícios que podem trazer para quem está precisando de dinheiro. Veja algumas vantagens dessa linha de crédito.

 

  • Taxa de juros menores

 

Como você está dando um veículo de garantia para seu empréstimo, os riscos da operação diminuem, fazendo com que a instituição financeira possa cobrar taxas bem menores do que o empréstimo tradicional.

 

  • Empréstimos de alto valor

 

O mesmo motivo dos juros serem menores, funciona também para o valor do empréstimo. Como o banco tem uma garantia ele terá menos riscos, por isso pode aumentar o valor do montante.

Quanto maior o valor do veículo, maior será a chance de você ter um crédito mais alto liberado.

 

  • Poder fazer o que quiser com os recursos

 

No empréstimo com refinanciamento de veículos não é necessário dizer qual será a destino do dinheiro, ou seja, você pode utilizá-lo para o que quiser.

Já nas outras modalidades de crédito você precisa ter uma destinação específica. Aqueles clientes que possuem dívidas no banco e desejam quita-las pode utilizar essa modalidade.

Assim pagam as dívidas e ainda ficam com o “troco” para fazer o que quiser. Depois é só ir quitando as parcelas aos poucos.

 

  • Prazos de pagamentos maiores

 

Os prazos de pagamento podem ser bem extensos, o que faz com que a parcela tem um valor menor, não pesando no orçamento e sendo acessíveis a mais pessoas.

Como o veículo será avaliado?

No Brasil, os veículos são avaliados pela tabela Fipe. Ela se baseia no valor médio dos modelos de carro de acordo com o ano de fabricação. Pode acontecer de ter variação no preço devido às condições de conservação.

A instituição financeira pode fazer sua própria avaliação, que será o valor considerado na hora do empréstimo.

Foi possível entender um pouco mais sobre empréstimo com refinanciamento de veículos. Compartilhe com seus amigos e leia também sobre Como funciona o financiamento de veículos para troca de carro.

Descubra Quais os Tipos de Empréstimos Para Capital de Giro!

Quem tem um negócio sabe que ter um capital de giro é muito importante. Por isso, se as coisas não saem como esperado é preciso fazer um empréstimo. Vamos lhe mostrar os tipos de empréstimos para capital de giro.

Muitas instituições financeiras oferecem empréstimo a longo, médio e curto prazo, como forma de ajudar as empresas a reorganizar o seu fluxo de caixa e se manterem em funcionamento.

O capital de giro é o que mantém a empresa funcionando, ou seja, é a quantia de dinheiro circulando, que entre através de pagamento de cliente e sai por meio de contas a pagar, salário de colaboradores, impostos, pagamento de fornecedores, etc.

 

Conheça os tipos de empréstimos para capital de giro

Existem vários tipos de empréstimos que podem ser feitos através de instituição financeira. Vamos conhecer alguns deles:

 

Cheque especial

Nesse caso você não precisará fazer contratação. Geralmente os bancos já liberam um limite embutido sua conta, que pode ser utilizado quando você quiser.

A desvantagem do cheque especial é que os juros costumam ser bastante abusivos, com taxas bem altas. Esse é um dos tipos de empréstimos para capital de giro com os juros mais caros

 

Conta garantida

Este é um tipo de empréstimo bem parecido com o cheque especial, porém, possui uma taxa menor. A conta garantida é um limite de crédito que o banco disponibiliza para você baseado em alguma garantia.

Pode ser os recebíveis por cheque, créditos eletrônicos ou duplicatas. Você deve apresentar esses créditos ao banco. Eles serão descontados caso sua conta corrente não tenha saldo o suficiente para arcar com alguma despesa.

Para conseguir o empréstimo você passará por uma análise feita pelo banco, onde ele irá ver sua capacidade de pagamento, seu fluxo de caixa, seus créditos anteriores, sua capacidade de gerar receita, sua situação no SPC e Serasa e analisar outros fatores.

 

Empréstimo pessoal

Esse é um dos tipos de empréstimos para capital de giro que mais precisa de cuidados, pois requer que você tenha bastante planejamento para não ficar endividado.

Primeiramente será necessário saber qual a quantia que você precisa e quando você conseguirá quitar toda a dívida. Tente usar prazos bem realistas, levando em conta que imprevistos acontecem.

Você deverá fazer uma pesquisa dos locais onde poderia fazer o empréstimo. Conheça detalhadamente as linhas de crédito, as taxas de juros, formas de pagamento, valor da parcela e tudo mais que você precisa saber.

Não feche um acordo antes de fazer simulações, para que você tenha controle e saiba o que irá pagar. Fique atento ao valor da parcela. Você deverá ter dinheiro suficiente para pagá-la todo o mês.

Quando você não consegue arcar com as parcelas, os juros vão aumentando, fazendo uma bola de neve que será difícil de pagar

A contratação deste empréstimo costuma ser rápida e bem acessível, porém, é preciso ficar atento às taxas, que podem ser bem altas nesse caso.

 

Empréstimo com garantia de imóvel

Esse tipo de crédito oferece juros bem baixos e prazos maiores para o pagamento. Por isso, se você tem um bem, pode utilizá-lo para conseguir empréstimos mais vantajosos.

O requisito básico é que você tenha um imóvel em seu nome que servirá como garantia. Muitas pessoas deixam de realizar sonhos por falta de dinheiro, mas isso pode ser alterado.

Esse empréstimo também é chamado de alienação fiduciária, refinanciamento de imóvel ou home equity.

Com ele você dá maior garantia para a instituição financeira, com isso você consegue empréstimos maiores e com taxas menores. Dependendo da instituição você poderá oferecer um imóvel ou veículo.

Uma das formas de fazer empréstimo com garantia de imóveis é na Financia Tudo. Entre na página www.financiatudo.com.br/refinanciamento-de-imoveis/ e faça sua simulação.

 

Como funciona o empréstimo para capital de giro

Para que você escolha um dos tipos de empréstimos para capital de giro é necessário ir até uma instituição financeira e solicitar. Lá eles irão analisar o seu crédito e ver se você tem condições de arcar com a dívida.

Antes de pedir o crédito faça um planejamento e verifique se você terá condições de pagar as parcelas. Elas poderão ser no máximo 30% da sua renda mensal.

Porém, é viável que este porcentagem seja menor, para não correr o risco de comprometer o seu orçamento se acontecer um imprevisto.

As opções de empréstimos vão variar de acordo com cada tipo de empresa e o ramo em que ela faz parte. Em alguns casos você pode conseguir condições diferenciadas.

Você pode encontrar formas de pagamentos mensais, bimestrais, trimestrais, semestrais ou até mesmo quando acabar o contrato.

 

Saiba Tudo Sobre Capital De Giro Para Empresas

O Capital de giro para empresas são os valores necessários para que o negócio esteja em funcionamento. Com esse recurso, é possível desempenhar as atividades diárias e fazer a produção girar.

Ele pode ser considerado os bens da empresa que conseguem ser convertidos em dinheiro em um curto prazo, como por exemplo, saldo em conta corrente, contas a receber, saldo em caixa, aplicações e estoque de mercadorias.

O capital de giro é dado pelo resultado da diferença entre o dinheiro que o negócio tem disponível e o dinheiro que será utilizado para pagar as contas, seja elas despesas fixas, pagamento de fornecedores ou algum gasto extra.

Ter um bom planejamento a respeito dele é fundamental para que a empresa consiga se manter ativa no mercado e não se acabe em dívidas, tendo que solicitar empréstimos.

Capital de giro para empresas no ramo industrial

Para que uma fábrica funcione é preciso que tenha material para ela produzir seus produtos.

Geralmente os pedidos de matéria prima são feitos em grande quantidade, tendo um gasto inicial alto, tanto para manter em estoque quanto para atender um pedido em específico.

Quando a compra for à vista e o pagamento de forma parcelada, a necessidade de um Capital de giro para empresas é ainda maior.

Será necessário esse recurso para viabilizar a compra de insumos, pagar funcionários, pagar custos operacionais e para manter a estrutura ativa até a finalização da entrega.

Capital de giro para empresas no ramo comercial

Em um comércio varejista, por exemplo, são realizadas compras frequentes para repor o estoque. Nesse caso o prazo de pagamento é um pouco diferente do que geralmente acontece na indústria.

No comércio o pagamento vem aos poucos, de acordo com cada peça vendida e o gasto inicial é volumoso. Sendo assim, não precisa ter um capital de giro permanente.

Porém no dia da compra das peças é necessário ter capital para arcar com a operação. Além do que é gasto com pagamentos e contas fixas.

Capital de giro para empresas no ramo de serviços

Empresas que prestam serviços costumam precisar de menos recurso, pois o principal gasto está relacionado à mão de obra. Os materiais geralmente são fixos, não precisando comprar com frequência.

Os principais gastos seriam com impostos e pagamento de funcionários, porém o ciclo de venda acontece, na maioria das vezes, dentro do mês.

O que é capital de giro líquido?

Também conhecido como folga financeira, ele é a quantidade de dinheiro financiada pelos recursos próprios que não são imobilizados no ativo e pelo passivo exigido em longo prazo.

Ou seja, é dinheiro necessário para que todas as contas no curto prazo sejam pagas.

O que é capital de giro próprio?

É a capacidade da empresa de se autofinanciar, ou seja, o gestor percebe que os pagamentos serão feitos com os recursos em caixa, sem a necessidade de contratar empréstimos.

É ele que faz com que tenha uma boa relação entre os recebidos e os gastos, sem necessidade de recorrer a fontes de terceiros, formando um ciclo positivo.

Fatores que influenciam no capital de giro para empresas?

O tipo de negócio irá influenciar na quantidade de capital, mas como regra geral, quanto maior a necessidade de estoque e quanto maior os prazos para o cliente pagar, mais recursos serão necessários.

Por isso, é preciso que você tome decisões de compra e venda a partir de uma análise do capital de giro disponível. Coloque os pagamentos para serem feitos após o recebimento.

Se você não tiver capital para arcar com suas dívidas, serão cobrados juros que irão diminuir sua margem de lucro.

Para administrar o capital de giro é importante analisar as sobras, necessidade de recursos e os efeitos da tomada de decisão.

Alguns fatores que diminuem o capital de giro e precisam ser evitados são:

  • Aumento de custos;
  • Aumento das despesas financeiras;
  • Crescimento da inadimplência;
  • Redução de vendas.

Porque é importante gerenciar o capital de giro?

Ao gerenciar seus recursos, a empresa saberá a quantidade de dinheiro em caixa e poderá manter o caixa sempre positivo, saber qual o momento para comprar, manter o fluxo de entrada e saída equilibrado, suprir necessidades operacionais, criar riquezas na empresa em longo prazo.

Quando há um mau gerenciamento, os riscos operacionais crescem, fazendo com que a empresa possa vir a ter um caixa negativo e consequentemente comprometendo a realização das suas atividades.

Você não apenas deve geral o capital de giro, mas também mantê-lo, de forma que você não precise recorrer a terceiros.

Fique atento ao gerenciamento do capital de giro para empresa, pois uma gestão ineficiente pode afetar o fluxo de caixa, levando a inadimplência e até o fechamento da empresa.

Veja também nosso conteúdo sobre Regras para o refinanciamento imobiliário

Regras Para o Refinanciamento Imobiliário

Você conhece o refinanciamento imobiliário? Ele é um tipo de empréstimo feito para pessoas que precisam de um alto valor, juros baixos, prazos longos e tenha um imóvel em seu nome.

Você pode refinanciar o seu imóvel em até 60% do seu valor, de acordo com a instituição financeira que você escolher. Existem várias opções disponíveis no mercado, por isso você deve pesquisar bastante.

Cada uma oferece uma forma de empréstimos, com taxas, prazos, formas de pagamento e valores diferentes. É preciso encontrar aquela que mais se adéqua ao que você precisa e oferece os melhores preços.

O refinanciamento imobiliário coloca seu imóvel em garantia até que você pague todas as parcelas do contrato. 

Vantagens do refinanciamento imobiliário

Esse tipo de empréstimo oferece muitas vantagens para quem o utiliza. Isso porque ao oferecer um imóvel como garantia, o banco tem seus riscos reduzidos, podendo colaborar com melhora das taxas e alongamento dos prazos para pagamento.

Assim, eles podem liberar um valor mais alto para empréstimos e os juros são baixos comparados a outras modalidades.

O prazo de pagamento costuma ser bem longo, podendo chegar até 20 anos. Isso faz com que as parcelas fiquem ainda menores, sendo acessíveis a muitas pessoas.

Outra vantagem é que você não precisa ter um motivo para querer o dinheiro, ou seja, não é necessário justificar o seu empréstimo, como acontece nos outros tipos. Você pode gastar o dinheiro da maneira que desejar.

Como solicitar o refinanciamento imobiliário

Se você estiver interessado em fazer um empréstimo, primeiramente você deve pesquisar em qual instituição financeira irá fazer. Você pode fazer simulações online disponíveis.

( Faça sua simulação aqui )

Com os dados em mãos você poderá comparar uma com as outras e analisar qual te interessa mais. Se tiver alguma dúvida você pode ir até o gerente do banco para que ele possa esclarecê-las.

Depois de escolher qual instituição irá fazer o refinanciamento imobiliário, é hora de ir até o estabelecimento e solicitar o processo.

A instituição financeira análise seu crédito e pré-aprova. No entanto, para que seu crédito seja liberado, o imóvel a ser dado em garantia deve estar com todos os documentos corretos, devidamente averbados e com os impostos em dia.

O limite máximo é de 30% da sua renda mensal, porém a porcentagem ideal deve ser a menor possível, de forma a não comprometer o seu orçamento caso aconteça algum imprevisto.

O banco irá fazer a vistoria do imóvel para saber quais suas condições e como ele está avaliado. O valor máximo do empréstimo vai depender do valor do imóvel. Quanto maior o valor do imóvel, maior poderá ser o valor do empréstimo.

Se tudo ocorrer bem e seu refinanciamento imobiliário for aprovado, será necessário levar as documentação até a instituição financeira. Os documentos pedidos são:

  • RG
  • CPF
  • Comprovante de estado civil
  • Comprovante de residência
  • Comprovante de renda
  • Cópia da declaração do imposto de renda
  • Matrícula atualizada do imóvel.

O processo é um pouco mais demorado do que o empréstimo convencional, mas em pouco tempo após a aprovação e a entrega dos documentos, o dinheiro já estará disponível.

Se você optar por uma financiadora ao invés do banco, você deverá entrar em contato com a instituição financeira e solicitar o refinanciamento.

Quais tipos de imóveis podem ser considerados no refinanciamento imobiliário?

Os imóveis aceitos como garantia só podem ser urbanos, sejam residenciais ou comerciais. Terrenos sem construção os bancos não aceitam.

O dinheiro do empréstimo será determinado de acordo com a capacidade de pagamento e avaliação do imóvel. O valor mínimo a ser financiado é de 30 mil reais e o máximo de 50% do valor de avaliação, limitado a R$ 1 milhão de reais.

Você pode escolher o número de parcelas que deseja pagar de acordo com o valor mensal que quer arcar. O limite máximo são 240 meses, ou seja, 20 anos. Isso ajuda muito no planejamento financeiro.

Assim, você poderá se reorganizar de forma que consiga quitar sua dívida sem muito problema. Todos os meses os bancos enviam o boleto da parcela para seu endereço. Manter a parcela em dia é importante para não incidir novos encargos sobre o valor vencido.

Outras Taxas

Apesar dos juros serem baixos, vale a pena verificar se existem outras taxas impostas no processo. Pode integrar o processo o Imposto Sobre Operações Financeiras – IOF e os seguros de morte ou invalides e o de danos físicos ao imóvel (incêndio e vendaval).  

Esse empréstimo é uma ótima opção, mas é necessário ter planejamento para que você não comprometa seu imóvel e acabe o perdendo para o banco. Essa opção não é tão comum, pois a instituição faz de tudo para que você pague.

Quer saber mais a respeito do refinanciamento imobiliário? Veja nosso artigo Refinanciamento imobiliário: Compare as taxas do mercado. Se você gostou, não deixe de compartilhar esse post com seus amigos.

O que fazer com a falta de capital de giro?

O capital de giro é a ferramenta mais importante para fazer com que as empresas possam gerenciar suas atividades no mercado de forma segura e eficiente, tanto em relação às suas despesas fixas quanto em relação à gastos e investimentos repentinos e necessários. 

Quando a empresa passa pela falta de capital de giro, os danos podem ser drásticos e até mesmo irreparáveis, causando a falência e os prejuízos que podem manchar a imagem da mesma e dos empresários que a gerenciam, por isso, é absolutamente crucial fazer com que a manutenção dessa quantia seja saudável. 

Essa quantia não é apenas aquela que está armazenada no banco pela empresa, mas também leva em conta em seu cálculo o capital que circula no caixa, os ativos que estão aguardando recebimento, bem como o inventário da empresa.  

A partir do estabelecimento desses fatores em sua empresa é possível saber se você está precisando atuar de forma mais rígida e específica para possibilitar aos seus negócios um melhor desempenho e crescimento. Confira algumas dicas nesse artigo

Como analisar se sua empresa precisa obter capital de giro? 

A maneira como a empresa atua no mercado será determinante para que os profissionais que gerenciam a área financeira possam realizar um planejamento para obtenção de capital de giro que possa ser suficiente em sua quantia a ponto de conseguir lidar com todas as despesas que possam ser necessárias. 

  • É preciso levar em conta todas as variáveis que podem afetar a gestão financeira dos negócios, bem como a sazonalidade das vendas, a baixa de recursos para produção e estoque, além de várias outras que são específicas para cada empresa. 
  • As condições do mercado também são fator determinante para que a empresa possa estabelecer uma quantia necessária de capital de giro: nos períodos onde a entrada é menor, por exemplo, será utilizado o capital de giro para equilibrar os gastos. 
  • Muitas vezes as empresas que são novas e estão vivenciando um crescimento exponencial no mercado necessitarão também da obtenção de um capital de firo para que suas atividades possam atender à demanda recém-adquirida em suas produções de produtos e/ou serviços. 

Entenda como conseguir obter capital de giro de forma segura 

– Empréstimos para capital de giro 

Os empréstimos para capital de giro são uma das principais maneiras pelas quais os empresários podem conseguir obter as quantias necessárias para lidar com situações nas quais o orçamento seja requisitado.  

Vale lembrar que, se a obtenção de capital de giro não é uma necessidade imediata, os empréstimos podem ser reconsiderados e outras alternativas que funcionam à longo/médio prazo podem ser consideradas, como o corte de gastos. 

Para conseguir obter um empréstimo que seja benéfico e possua juros menores, o que irá proporcionar uma melhor condição também de pagamento para as empresas, é preciso realizar uma análise de mercado de acordo com as opções fornecidas pelos bancos. 

Muitas instituições bancárias oferecem empréstimos para capital de giro que funcionam de forma incrivelmente vantajosa para as empresas, fazendo com que as parcelas possam ser ajustadas para um valor que será facilmente inserido no orçamento à medida que a mesma consiga expandir suas atividades e otimizar o processo para a quitação da quantia. 

Sale and Lease Back 

Se o imóvel onde sua empresa está localizada é próprio, é possível realizar o método de Sale and Lease Back, que significa em tradução livre a venda e o retorno em aluguel do imóvel para o ex proprietário. 

Essa é uma maneira que pode parecer um tanto quanto arriscada para a obtenção do capital de giro, mas que pode ser extremamente eficiente, tanto porque, na maioria dos casos, as empresas que possuem uma quantia suficiente para investir no negócio, expandi-lo e atualizar seus métodos de produção e oferta de serviços podem multiplicar seus ganhos em grandes quantias! 

O financiamento geralmente ocorre de maneira que a empresa consegue obter de volta a propriedade em um período que gira em torno de dez a vinte anos, mas também é possível que a mesma cresça e venha a adquirir um local ainda maior! 

– Economia interna 

Um planejamento estratégico e análise interna são extremamente valorosos para fazer com que a empresa possa conseguir lidar de forma eficaz com o problema da falta de capital de giro

Contratar um profissional capaz de analisar detalhadamente as condições de atuação da empresa em relação à suas despesas fixas, sua locação, sua divisão de funções bem como os gastos com materiais de escritório e diversas outras ferramentas pode ser incrivelmente benéfico. 

O benefício vem com a possibilidade que os profissionais adquirem de conseguir identificar melhores aplicações para diversos setores do orçamento, capacidade de otimizar a produção e cortar gastos, bem como impulsionar as vendas ao investir em um setor de comunicação mais eficiente, gerando o capital de giro necessário para a expansão e manutenção dos negócios.

Confira aqui mais artigos como esse

Como Funciona e Como Fazer Um Empréstimo Empresarial

Os empresários que estão iniciando uma nova empresa ou que precisam realizar um empréstimo empresarial para conseguir lidar de forma saudável com suas situações financeiras nos negócios podem se beneficiar extremamente de dicas e estratégias sobre como funciona o processo para obtenção dos mesmos.

A expansão dos negócios também pode ser uma das situações que exigem a obtenção dos empréstimos, portanto, principalmente para pequenas e médias empresas, conseguir obtê-los com segurança para projeções futuras é uma ótima estratégia.

Confira, nesse artigo, diversas informações a respeito dos empréstimos empresariais, saiba como os mesmos funcionam, quais são as melhores medidas a tomar para conseguir obter menores juros, bem como melhores condições para pagamento.

É importante notar que uma análise da situação financeira de da gestão da mesma em sua empresa é necessária antes da realização de qualquer atividade que envolva as instituições bancárias – é possível minimizar riscos e otimizar os investimentos.

O que é um empréstimo empresarial?

As empresas que se encontram precisando de mais capital para conseguirem lidar com diversos tipos de despesas, que podem variar desde a quitação de dívidas até a obtenção de capital para conseguir expandir os negócios devido ao crescimento.

Para que os empresários possam conseguir melhores condições de pagamento tanto devido às taxas de juros que são aplicadas sobre os negócios, é preciso fazer com que a análise das condições oferecidas pelas instituições bancárias seja realizada com cautela.

Os bancos oferecem linhas específicas para a obtenção de crédito para as empresas, que levam em conta tanto o ramo de atuação das mesmas, bem como a necessidade que leva à obtenção das quantias de crédito.

Muitas das vezes os empresários que buscam pela obtenção de crédito tem a finalidade de renovação de materiais na empresa, a realização de diversos tipos de investimentos, bem como a quitação de dívidas e a obtenção de capital de giro para impulsionar as atividades e otimizar o gerenciamento da situação financeira.

Quais são as variedades de empréstimo empresarial existentes no mercado?

Há uma série de empréstimos que podem ser obtidos pelas empresas, fazendo com que as mesmas possam obter melhores condições tanto para o pagamento quanto para fazer com que as quantias necessárias sejam adquiridas com segurança em relação às taxas de juros aplicadas.

  • Empréstimos específicos para capitais de giro: Estes empréstimos são direcionados especificamente para que as empresas possam conseguir manter suas atividades de forma tranquila.

Suas finalidades envolvem a reposição de estoque, a compra de materiais, produtos e o custeamento de vários gastos necessários para a administração correta do funcionamento dos negócios.

Há duas maneiras pelas quais os empresários podem obter o mesmo, sendo a primeira a maneira isolada onde não se faz necessário que o empresário identifique quais serão os fins para os quais o empréstimo será utilizado, e a segunda, associada aos investimentos estáveis da empresa, onde o empréstimo é realizado exclusivamente para que o empresário possa adquirir materiais ou produtos que são essenciais para as suas atividades.

Os juros desse tipo de empréstimo empresarial são fixados previamente, fazendo com que os mesmos não possuam carência, tenham um período curto para pagamento e com que sua garantia seja possibilitada pelos sócios.

  • Empréstimos específicos para investimentos fixados: Os investimentos fixos envolvem todos os tipos de situações onde os fins dos empréstimos são especificamente a expansão dos negócios, a atualização de suas ferramentas, bem como a renovação de estruturas físicas.

O funcionamento correto da empresa e a melhoria de suas instalações são as principais razões pelas quais as instituições fornecem esse tipo de empréstimo empresarial.

  • Empréstimos mistos: Os empréstimos mistos tem como principal finalidade a realização de empréstimos pelos empresários, fazendo com que o capital de giro possa proporcionar melhorias para as condições de trabalho das empresas.

Suas aplicações de juros são fixadas previamente, o tempo para pagamento dos mesmos é geralmente amplo e a carência é aplicada. A exigência de algum método de garantia é requerida.

  • Também há a possibilidade de realizar empréstimos com a antecipação do recebimento de valores, fazendo com que os financiamentos possam ser realizados tanto com o desconto de títulos específicos para o banco em troca da obtenção dos mesmos, bem como por meio do débito de cheques e das faturas de cartão de crédito.

Como fazer um empréstimo empresarial?

Agora que você já conhece alguns dos tipos de empréstimos empresariais disponíveis para seus negócios, é possível primeiramente realizar a obtenção de algum dos mesmos por meio de uma análise específica das necessidades de sua empresa.

É preciso planejar especificamente quais serão os passos realizados para conseguir gerenciar tanto a situação atual da empresa, para que a escolha do plano de empréstimo empresarial seja a mais benéfica possível para a empresa, quanto estudar as projeções futuras para que o pagamento seja efetuado com segurança.

Depois da realização do planejamento estratégico, basta então entrar em contato com as instituições bancárias para que possa ser decidido em conjunto com os profissionais especializados quais serão as melhores formas de obtenção das quantias necessárias para as finalidades específicas de seus negócios!

Confira aqui mais artigos como esse

1 2 3 10